Italiana em coma pode ser transferida para desligar alimentação

Roma, 16 dez (EFE).- A última viagem da italiana Eluana Englaro, de 37 anos e que está em estado vegetativo há 17, poderia começar hoje a bordo de uma ambulância que a levaria para longe de Lecco, cidade onde sempre viveu, e a transferiria para Udine.

EFE |

Assim anunciou hoje o jornal "Il Gazzettino", que revelou até o nome da clínica privada Città di Udine, onde Eluana poderia ser desligada da sonda que a alimenta e hidrata, e a mantém com vida.

A família da jovem não confirmou nem desmentiu a notícia, mas o desejo do pai, Giuseppe Englaro, sempre foi que a filha morresse e fosse enterrada em Udine, depois que a Corte Suprema da Itália autorizou o desligamento da sonda.

Eluana permanece no hospital Santa Maria da Misericórdia ao cuidado de freiras que pediram para ficarem com ela, e que a mulher não tivesse a alimentação desligada.

O chefe do Governo da região de Friuli-Venezia Giulia, Renzo Tondo, a princípio, estava de acordo com o pai de Eluana até que o Tribunal Superior ditou a sentença e ele preferiu se pronunciar com um "sem comentários".

A Igreja de Friuli já se mobilizou. O bispo de Udine, monsenhor Pietro Brollo, declarou que sua posição é a mesma que a do Vaticano, ou seja, não à eutanásia, porque Eluana é um ser vivo que respira sozinha e apenas precisa de alimento. EFE cps/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG