A maioria das cidades da Itália vivem uma segunda-feira negra, em meio a uma greve geral de 24 horas do transporte público, decretada pelas maiores centrais sindicais do setor.

A paralisação, convocada para pedir a renovação do contrato dos funcionários do transporte público, teve forte impacto mn cidades como Milão, Roma, Bolonha e Nápoles, indicaram fontes sindicais.

"Os trabalhadores da malha ferroviária e do transporte público (ônibus, bondes, transporte metropolitano e trens intermunicipais) aderiram à greve, com uma média nacional de 80%", segundo as mesmas fontes.

Em Milão, capital econômica do país, a paralisação provocou o caos, assim como em Bolonha, onde engarrafamentos e enormes filas de automóveis se formavam nas vias da cidade.

Mais de 100.000 funcionários do transporte público esperam a renovação do contrato, que venceu em 2001.

kv/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.