Itália suspende poder familiar de brasileira por agredir filho

Com a decisão, criança de sete meses que segue em estado grave fica sob responsabilidade de serviços sociais e médicos

Ansa |

O Tribunal para os Menores de Bari, no sul da Itália, suspendeu o poder familiar da brasileira de 28 anos presa na sexta-feira por espancar o filho de sete meses, que se encontra em graves condições em um hospital da cidade. O poder familiar é um conjunto de direitos e obrigações conferidos aos pais para que de desempenhem as funções determinadas por lei em relação aos filhos menores de idade.

Os magistrados confiaram a criança aos serviços sociais e, na esperança de que ele se recupere dos ferimentos, aos médicos da clínica onde está internado há três dias. O procedimento confirma as medidas de urgência adotadas pela procuradoria, que já tinha posto o bebê sob a guarda da equipe médica. O pai e companheiro da brasileira, de 35 anos, também teve seu poder familiar retirado.

Segundo informações, os abusos vinham acontecendo há vários meses, mas se agravaram na quarta-feira, quando a brasileira espancou a criança com extrema violência. A polícia descobriu que o companheiro também era agredido por ela.

O bebê foi levado ao pronto socorro pelo pai e, depois de ser examinado, transferido à cidade de Bari devido à gravidade do caso. As análises permitiram descobrir que as lesões não haviam sido causadas por uma queda acidental, como declarou a mãe, e nem foram provocadas em uma única circunstância.

A criança apresentava fraturas no crânio, em sete costelas, nos dedos das mãos, em um fêmur e um úmero, além de ter sofrido mordidas pelo corpo e possuir marcas e feridas, possivelmente provocadas por queimaduras. Já no hospital, ele sofreu dois colapsos cardíacos.

As condições atuais de saúde do bebê, que foi submetido a uma cirurgia na cabeça, continuam muito graves. A mulher - que foi adotada ainda pequena por uma família da cidade e possui cidadania italiana - está presa desde a sexta-feira, acusada de maus tratos agravados pelas lesões gravíssimas provocadas no filho.

    Leia tudo sobre: brasileiraitáliacrime

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG