Itália reduz esperança de encontrar sobreviventes nos escombros

Por Silvia Aloisi LAQUILA, Itália (Reuters) - Funcionários que trabalham no resgate de vítimas buscam neste sábado o que podem ser os últimos sobreviventes dos terremotos e tremores que devastaram regiões da Itália nesta semana, mas afirmam que há poucas garantias de que ainda existam pessoas vivas embaixo dos escombros.

Reuters |

Um dia depois dos funerais pelas vítimas do terremoto de segunda-feira, o número de mortos chega a 291 depois que mais corpos foram retirados das ruínas. Quase 40 mil pessoas estão desabrigadas.

Cães farejadores perceberam cheiros humanos na noite de sexta-feira vindo das ruínas do que foi um prédio de quatro andares em L'Aquila, cidade medieval atingida por um terremoto de magnitude 6,3 na escala Richter. Os funcionários de resgate também ouviram ruídos.

Mas a região ficou silenciosa durante a noite e os oficiais afirmaram que os cães podem ter farejado corpos sem vida ou mesmo sangue. Pelo menos nove corpos já foram retirados daquela região, segundo os bombeiros.

"Escavamos durante toda a noite e agora temos apenas de esperar. Já não ouvimos quase nada agora", afirmou um deles à Reuters.

No sexto dia após o terremoto, a esperança de encontrar pessoas vivas é cada vez menor. O último sobrevivente resgatado, um jovem de 20 anos, foi retirado dos escombros na terça-feira.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG