Roma, 7 jan (EFE).- A Itália introduzirá de modo experimental o scanner corporal nos aeroportos de Malpensa (Milão), Fiumicino (Roma) e Marco Polo (Veneza), em um prazo máximo de três meses.

Esse anúncio foi feito hoje à imprensa pelo ministro do Interior italiano, Roberto Maroni, ao final de uma reunião com o presidente do Ente Nacional de Aviação Civil italiana (Enac), Vito Reggio, e com o ministro de Infraestruturas, Altero Matteoli.

Maroni disse que é uma linha de atuação compartilhada por todo o Executivo, enquanto ressaltou que o mais importante deve ser "a segurança" dos viajantes.

"O direito à vida é uma prioridade frente a qualquer outra questão", disse o ministro do Interior, em referência às críticas levantadas por diferentes associações, que denunciam que o scanner viola a privacidade dos passageiros, já que dão imagens muito detalhadas em três dimensões do corpo do viajante.

Além disso, Maroni informou que a Itália fará um pedido formal à União Europeia (UE) em 21 de janeiro, durante a reunião das titulares de Justiça e Interior em Toledo (Espanha), para que todos os países-membros adotem o scanner em seus aeroportos. EFE ebp/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.