Itália envia pessoal e material médico ao Haiti

Roma, 19 jan (EFE).- A Itália enviará hoje ao Haiti o porta-aviões Cavour com pessoal e material médico para ajudar a população atingida pelo terremoto que assolou o país caribenho.

EFE |

A embarcação chegará ao litoral haitiano em dez dias, mas fará antes uma escala no Brasil, onde recolherá pessoal das Forças Armadas brasileiras, após um acordo entre os dois países.

Com esta operação humanitária, serão levados à ilha caribenha aproximadamente 800 pessoas, entre médicos e membros das Forças Armadas.

O navio leva também guindastes e caminhões, que servirão aos soldados na operação de retirada de escombros, assim como geradores de eletricidade para a população e seis helicópteros com fins médicos.

O porta-aviões, considerado uma das joias da Marinha italiana, funcionará como hospital com três salas de cirurgia, uma máquina para tomografia, ambulatórios, uma sala para queimados, 20 camas para os feridos, quatro postos de reanimação e outros oito de tratamento intensivo.

A equipe médica é formada por 34 pessoas, entre médicos e enfermeiros. Entre os primeiros, há um cirurgião, um cardiologista, um anestesista, um dentista e um psicólogo.

O terremoto de 7 graus na escala Richter aconteceu às 19h53 (Brasília) da terça-feira passada e teve epicentro a 15 quilômetros da capital haitiana, Porto Príncipe. Segundo declarações à Agência Efe, o primeiro-ministro do Haiti, Jean Max Bellerive, acredita que o número de mortos superará 100 mil.

O Exército brasileiro informou que pelo menos 17 militares do país que participavam da Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (Minustah) morreram em consequência do terremoto.

A médica Zilda Arns, fundadora e coordenadora da Pastoral da Criança, e Luiz Carlos da Costa, o segundo civil mais importante na hierarquia da ONU no Haiti, também morreram no tremor. EFE ccg/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG