Uma rede de tráfico de cocaína baseada em um convento, sem o conhecimento das religiosas mas com a cumplicidade de um dos guardas do local, foi desmantelada e 33 narcotraficantes foram detidos, incluindo mafiosos colombianos e calabreses, anunciou a polícia de Piacenza, perto de Milão (norte da Itália)." /

Uma rede de tráfico de cocaína baseada em um convento, sem o conhecimento das religiosas mas com a cumplicidade de um dos guardas do local, foi desmantelada e 33 narcotraficantes foram detidos, incluindo mafiosos colombianos e calabreses, anunciou a polícia de Piacenza, perto de Milão (norte da Itália)." /

Itália desmantela rede de tráfico de cocaína baseada em convento

Uma rede de tráfico de cocaína baseada em um convento, sem o conhecimento das religiosas mas com a cumplicidade de um dos guardas do local, foi desmantelada e 33 narcotraficantes foram detidos, incluindo mafiosos colombianos e calabreses, anunciou a polícia de Piacenza, perto de Milão (norte da Itália).

AFP |

Uma rede de tráfico de cocaína baseada em um convento, sem o conhecimento das religiosas mas com a cumplicidade de um dos guardas do local, foi desmantelada e 33 narcotraficantes foram detidos, incluindo mafiosos colombianos e calabreses, anunciou a polícia de Piacenza, perto de Milão (norte da Itália).

No grupo detido ou com ordem de prisão decretada figura pelo menos 10 colombianos, segundo o coronel Edoardo Cappellano.

Pelo menos 80 pessoas estão sendo investigadas. Os italianos envolvidos pertencem em sua maioria à máfia da Calábria ou de Piacenza e seus arredores.

"As irmãs do convento que servia de base para os traficantes não estavam a par de nada. Um dos guardas, um colombiano, era quem permitia a entrada dos cúmplices sob o falso pretexto de peregrinações e retiros espirituais", disse Cappelano.

"Ao invés de entrar com breviários, entravam com cocaína", completou o coronel da polícia.

Um comunicado dos polícia afirma que a operação, que levou três anos de investigação, representa "um grave revés para o tráfico de cocaína nos departamentos de Piacenza, Milão, Parma, Bergamo, Brescia, Lecco, Lodi, Varese e La Spezia", zonas prósperas do norte do país.

"A droga chegava da Colômbia e transitava pelos caminhos clássicos: Espanha, Holanda/Suíça, México, Peru/Equador e República Dominicana", completa o comunicado.

Da Espanha, a droga era levada a bordo de caminhões que cruzavam a França até o norte da Itália.

fka/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG