Itália apóia a autodefesa de Israel, mas pede proteção a civis de Gaza

Roma, 4 jan (EFE).- O Ministério de Assuntos Exteriores da Itália lembrou hoje que o país apóia o direito de Israel à autodefesa, mas pediu que seja feito o possível para assegurar a proteção dos civis e o envio de ajuda humanitária.

EFE |

Em nota, o departamento expressou neste domingo sua "forte preocupação" pela "sorte de tantos civis inocentes" em Gaza. Além disso, mostrou sua "sincera comoção pelo número de vítimas, que infelizmente aumentam a cada hora".

O ministério italiano destacou ainda o "quão grave e irresponsável foi a violação da trégua por parte do Hamas".

Além disso, como país à frente da Presidência rotativa do G8, a Itália se dispôs a organizar uma cúpula sobre o Oriente Médio e se ofereceu como sede de diálogo para que "a Liga Árabe, a Autoridade Nacional Palestina e o Governo israelense se reúnam para encontrar um caminho capaz de isolar definitivamente o extremismo".

Por outro lado, o líder do opositor Partido Democrata, Walter Veltroni, criticou hoje a posição expressada pelo Governo italiano ao considerar que a prioridade é que a Itália "se mobilize em prol da declaração de um imediato cessar-fogo para que possa a população civil possa a receber ajuda humanitária". EFE ccg/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG