Itaipu faz acordos entre Lula e Lugo ficarem para julho

Brasília, 8 mai (EFE).- Após encontrarem divergência nas questões envolvendo a hidrelétrica binacional de Itaipu, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o chefe de Estado do Paraguai, Fernando Lugo, decidiram adiar a assinatura de vários acordos para julho.

EFE |

Os dois líderes, em coletiva de imprensa conjunta concedida na manhã de hoje em Brasília no último dia da visita oficial de Lugo ao Brasil, anunciaram a decisão de se reunir em julho próximo em Assunção para prosseguir nas conversas e assinar tudo o que ficou pendente.

"Não assinamos nenhum acordo, mas assumimos o compromisso de, em uma data próxima no Paraguai, nos reunirmos para assumir compromissos que permitam avanços em todos os assuntos bilaterais", disse Lugo.

O presidente do Paraguai reconheceu que havia outros acordos que podiam ser assinados independentemente das negociações sobre Itaipu, mas que, de comum acordo, preferiram juntar tudo para poder assinar depois.

"Tivemos uma reunião produtiva, apesar de não termos assinado nenhum acordo pelo fato de termos os focos em que temos que avançar", assegurou Lula.

Apesar da falta de acordos, Lugo lembrou os resultados de sua visita oficial ao Brasil pelos avanços alcançados, o ambiente de respeito e solidariedade nas conversas e o fato de que retorna a seu país sem ter renunciado às reivindicações paraguaias sobre Itaipu.

"O Paraguai não abriu mão de nenhuma de suas exigências.

Seguiremos conversando para chegar a acordos que permitam a recuperação da dignidade de todos os paraguaios", assegurou Lugo, que teve como uma de suas bandeiras eleitorais a renegociação do Tratado de Itaipu.

O presidente do Paraguai disse que as conversas prosseguirão na mesa de negociações criada por ambos os países no início deste ano para abordar as diferenças sobre a hidrelétrica.

De acordo com Lula, a reunião permitiu demonstrar que não existe tabu nas conversas entre os dois países e que, se Itaipu é um tema sensível para ambas as nações, os governantes têm que assumir a responsabilidade de discuti-lo.

"Estamos de acordo que a direção (da hidrelétrica) seja paritária e que é preciso concluir as obras necessárias", disse Lula.

"Estou convencido de que poderemos avançar, sempre levando em conta que é um tema muito sensível", completou.

O presidente brasileiro disse que, além do que possa ser estipulado com relação a Itaipu, o Brasil está disposto a ajudar o Paraguai em tudo o que possa para incentivar seu desenvolvimento.

"Não queremos ser uma ilha de prosperidade em um continente cercado de países com dificuldades", disse Lula. EFE cm/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG