Istambul não está preparada para forte terremoto, diz relatório

Viena, 3 mar (EFE).- Um terremoto na cidade de Istambul, capital da Turquia, poderia matar até 150 mil pessoas devido à falta de estrutura dos edifícios para aguentar o abalo, disse um relatório.

EFE |

Em alerta pelos recentes terremotos no Haiti e Chile, a câmara de engenheiros civis turcos mandou ao Parlamento o documento, que prevê ainda que um tremor poderia danificar ao redor de 270 mil prédios.

O relatório tem base na análise de 9% dos 1.031 edifícios da capital turca que têm o certificado de resistência a terremotos, e aponta que metade deles não atende a esta qualificação.

"É frequente que as inspeções sejam feitas de forma genérica, sem uma análise profunda das características, complexidade e tamanho da construção", disse à imprensa Cemal Gokce, presidente da câmara de engenheiros civis.

Segundo Gokce, "edifícios que seriam resistentes a terremotos na verdade não são".

O estudo aponta que aproximadamente 70 mil edifícios da cidade sofreriam graves danos, enquanto outros 200 mil seriam abalados de forma mais leve.

Mas o relatório faz outra advertência ao Parlamento turco: é necessário reforçar os hospitais, já que 86% deles poderiam vir abaixo caso um forte terremoto aconteça.

O relatório dos engenheiros aponta ainda que entre 70 e 150 mil pessoas poderiam morrer nesta tragédia, com outras 200 mil feridas.

Já 400 mil famílias ficariam desabrigadas.

Grande parte do território turco está sujeito a terremotos. Em 1999, um sismo de 7,4 graus na escala Richter sacudiu a região do mar de Mármara e afetou Istambul, deixando cerca de 18 mil mortos.

Em 1939, o terremoto mais forte da história da Turquia moderna causou quase 33 mil mortes na província de Erzincan, leste do país.

EFE.

dt-as/dp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG