Israelense morre após cápsula de cocaína explodir em sua vagina

Quito, 13 abr (EFE).- Uma israelense de 19 anos morreu dentro uma cela da Polícia Antinarcóticos do Equador, após uma das cápsulas de cocaína que ela levava na vagina explodir, informou hoje a imprensa local.

EFE |

Marina Demydov foi presa na sexta-feira no aeroporto, junto com o namorado dela, Edward Kiselman, quando ambos tentar embarcar de volta para Israel com 860 gramas de cocaína em cada uma de suas bagagens.

Ramiro Mantilla, chefe da Unidade Antinarcóticos da Polícia equatoriana declarou à emissora de TV "Ecuavisa" que a israelense "não avisou que tinha cocaína no interior de seu ventre" e que "a causa de morte foi um edema pulmonar agudo por absorção de substâncias entorpecentes através da mucosa vaginal".

Segundo a emissora, suas companheiras de cela declararam que Marina tentou tirar os pacotes que levava, mas que uma das cápsulas arrebentou antes que a jovem pudesse se desfazer delas.

A Embaixada israelense em Quito tenta acertar os trâmites burocráticos para levar o corpo da jovem para Israel.

A Polícia ainda não descobriu quem repassou a droga ao casal. EFE ic/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG