Israel volta a ser alvo de foguete lançado de Gaza

JERUSALÉM - Milicianos palestinos lançaram na manhã desta terça-feira um foguete Grad contra a cidade israelense de Ashkelon, a nove quilômetros do norte de Gaza, sem deixar vítimas, mas gerando pânico entre a população local, informou um porta-voz policial.

Redação com agências internacionais |

O foguete caiu no centro da cidade, em uma estrada próxima a três edifícios por volta das 7h (3h, Brasília), perto de um horário de grande movimentação na região.

O encarregado da segurança em Ashkelon, Shlomo Cohen, acusou o movimento islâmico Hamas pelo ataque.

"Até agora os foguetes pareciam terem sido disparados por outros grupos, mas dessa vez achamos que se trata do Hamas porque é um Grad", declarou.

Há três dias se informou que um foguete desse tipo, com alcance de entre 20 e 30 quilômetros, caiu no sul da mesma cidade.

Cessar-fogo comprometido

Desde que Israel e Hamas declararam de forma separada um cessar-fogo, há pouco mais de duas semanas, cerca de 30 foguetes atingiram território israelense, e o Exército do Estado judeu respondeu com ataques aéreos.

O diário "Ha'aretz" informa que a Inteligência de Israel atribui os foguetes dessas últimas duas semanas a milícias em Gaza que não respondem às ordens do Hamas.

'Nova guerra'

Na segunda-feira, o ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak, disse que Israel não pretende começar outra grande ofensiva na Faixa de Gaza, apesar dos ataques aéreos que de domingo em resposta a foguetes lançados contra o território israelense.

"Não é nossa intenção" ter uma operação similar em Gaza, disse Barak em uma entrevista ao site YNet. "Dissemos que haveria uma resposta , e houve uma resposta na noite de domingo".

Trégua de um ano

O Hamas é favorável a uma trégua de um ano com Israel na Faixa de Gaza sob a condição de que sejam abertas as passagens nesse território, afirmou na segunda-feira o porta-voz do movimento radical palestino.

"Estamos de acordo a princípio com uma trégua de um ano. Os mediadores egípcios propuseram um ano e meio e nós não fechamos totamente a porta para essa ideia. Que se seja um ano ou um ano e meio, isso dependerá da abertura dos pontos de passagem e a suspensão do bloqueio", afirmou Fawzi Barhoum.

Israel e o Hamas negociam, com a mediação do Egito, uma trégua que consolide o cessar-fogo de 18 janeiro, que pôs fim à ofensiva israelense de 22 dias na Faixa de Gaza.

Leia também:

Leia mais sobre Faixa de Gaza

    Leia tudo sobre: faixa de gaza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG