Israel volta a atacar Gaza, em resposta a lançamento de foguetes palestinos

A aviação israelense bombardeou neste domingo uma delegacia de polícia, no centro da Faixa de Gaza, segundo as forças de segurança palestinas.Não houve vítimas no ataque.

AFP |

O fato aconteceu logo após a advertência do primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, de que o Estado hebreu reagirá de forma "severa e desproporcional" aos disparos de foguetes palestinos a partir da Faixa de Gaza.

"Já dissemos que se foguetes forem disparados contra o sul do país, haverá uma resposta israelense", declarou Olmert à imprensa na abertura semanal do conselho de ministros.

"Dei a instrução ao Exército, através do ministro da Defesa, de preparar uma resposta israelense adaptada às circunstâncias, e esta resposta será dada no momento e no lugar que teremos escolhidos", acrescentou.

"Não aceitaremos uma volta à situação anterior, e vamos agir de forma a acabar com os disparos constantes de foguetes, que impedem os habitantes do sul de Israel de terem uma vida normal", prosseguiu o premier.

O ministro da Defesa, Ehud Barak, afirmou por sua vez que Israel "empreenderá todas as ações que forem necessárias". "O Hamas já recebeu um duro golpe, e se for necessário receberá outros", advertiu.

Quatro foguetes palestinos explodiram neste domingo no sul de Israel, sem deixar vítimas nem danos materiais, informou o Exército israelense.

Pelo menos sete foguetes foram disparados contra Israel desde a instauração do cessar-fogo que pôs um fim à ofensiva israelense, na qual morreram mais de 1.300 palestinos da Faixa de Gaza entre os dias 27 de dezembro e 18 de janeiro.

Há duas semanas, Israel e o Hamas declararam cessar-fogo após três semanas de ofensiva militar israelense contra a Faixa de Gaza que causou a morte de cerca de 1.300 palestinos, muitos deles civis, além de dez soldados israelenses. Outros três civis israelenses foram mortos em conseqüência dos ataques com foguetes palestinos.

"Já dissemos que se houver novos disparos de foguetes contra o sul do país, haverá resposta israelense desproporcional ao fogo contra os cidadãos de Israel", afirmou Olmert.

Segundo a imprensa israelense, um dos quatro foguetes que atingiram o país no domingo caiu numa área entre duas creches na região de Eshkol.

No sábado, um foguete disparado a partir de Gaza já havia atingido a cidade de Ashkelon, também sem deixar vítimas. Pelo menos outros dois foguetes haviam sido disparados nos dias anteriores.

Na última terça-feira, um soldado de Israel foi morto na fronteira com Gaza. Israel respondeu com ataques aéreos e uma breve incursão terrestre ao território com tanques e soldados.

Israel realiza eleições gerais muito disputadas, marcadas para o dia 10 de fevereiro. Concorrem ao cargo de primeiro-ministro, a ministra das Relações Exteriores, Tzipi Livni, líder do partido Kadima (centro), além do próprio Olmert, e o ministro da Defesa, Ehud Barak, líder do partido Trabalhista (centro-esquerda).

Apesar de um aumento na popularidade de ambos os ministros após a ofensiva contra Gaza, as pesquisas dão vantagem ao ex-primeiro0ministro Benyamin Netanyahu, líder do Likud (direita).

jk-rb/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG