Israel rejeita apelos por observadores internacionais em Gaza

JERUSALÉM (Reuters) - Israel rejeitou na segunda-feira propostas da Europa relativas à presença de observadores internacionais na Faixa de Gaza após um eventual cessar-fogo. Em vez disso, o Estado judeu defendeu a existência de equipes responsáveis por ajudar a buscar e fechar túneis que possam levar o Hamas a se rearmar. A ministra israelense das Relações Exteriores, Tzipi Livni, uma das principais candidatas a primeiro-ministro nas eleições de 10 de fevereiro, disse não ver razão para uma força de observação e monitoramento, uma das várias propostas feitas por potências européias na tentativa de conseguir uma trégua para o conflito em Gaza, que já dura dez dias.

Reuters |

"Não vejo como isso possa ajudar", disse Livni a jornalistas durante entrevista coletiva, em meio a visitas de lideranças européias.

Em vez dessa proposta, segundo autoridades israelenses envolvidas nas conversas, Israel quer que qualquer missão internacional na região da fronteira entre Gaza e Egito se concentre em evitar que o Hamas restabeleça uma rede de túneis subterrâneos que pode ser usada para o contrabando de foguetes e outras armas.

(Reportagem de Adam Entous)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG