Israel recebe primeiras imagens de Gilad Shalit em três anos

O governo de Israel anunciou nesta sexta-feira que recebeu as primeiras imagens em três anos que comprovariam que o soldado Gilad Shalit, capturado em 2006 pelo Hamas, está vivo. Em troca, Israel libertou 18 prisioneiras na Cisjordânia e uma na Faixa de Gaza. Outra prisioneira será libertada no domingo.

BBC Brasil |

As prisioneiras só foram soltas depois que autoridades viram vídeos e provas de que Shalit está vivo.

O grupo exige a libertação de mais de mil prisioneiros palestinos em troca do soldado, que tem 23 anos.


Prisioneira libertada se encontra com familiares na Cisjordânia / Reuters

Saúde 'boa'

Segundo uma rádio de Israel, as imagens foram vistas pelo chefe de Gabinete do governo, Gabi Ashkenazi.

Uma autoridade israelense disse à BBC que o negociador israelense sobre a questão, Hagai Hadas, estava a caminho de Jerusalém para entregar um DVD com imagens do soldado ao primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu.

A agência chinesa Xinhua afirmou, citando um integrante do Hamas, que Shalit aparece no vídeo usando roupas civis e aparentemente em bom estado de saúde.


Reprodução do vídeo mostra Shalit lendo jornal do dia 14 de setembro / AP

Desde a captura de Shalit, em 2006, uma fita de áudio e três cartas foram divulgadas pelos sequestradores, a mais recente delas com data de 2008.

Após três anos de negociações com mediação do Egito, Shalit ainda não foi solto. Mediadores alemães participaram das negociações entre o Hamas e Israel em julho, também sem sucesso.

As prisioneiras soltas por Israel não são consideradas perigosas e a maioria já estava terminando de cumprir pena. Grande parte foi condenada por porte de armas, mas algumas participaram de atentados suicidas.

O governo de Israel não indicou se divulgará as imagens publicamente.

Leia mais sobre Gilad Shalit

    Leia tudo sobre: faixa de gazaisrael

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG