Um alto funcionário do governo israelense rebateu nesta sexta-feira as http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2010/02/18/policia+de+dubai+pede+que+interpol+prenda+chefe+do+mossad+9401962.html target=_topacusações da polícia de Dubai contra o Mossad, o serviço secreto do Estado isralense, pelo assassinato no emirado de um dirigente do movimento radical palestino Hamas.

"A polícia de Dubai não apresentou nenhuma prova que respalde uma incriminação nesse caso", disse à AFP a fonte, que pediu anonimato.

O chefe de polícia de Dubai, o tenente-general Dhahi Khalfan, afirmou na quinta-feira estar "99% seguro, e até 100%" da responsabilidade do Mossad no assassinato de Mahmud al- Mabhuh , um dos fundadores do braço armado do Hamas, que foi encontrado morto em um quarto de hotel de Dubai em 20 de janeiro.

"Até agora, ninguém sabe o que aconteceu. A polícia de Dubai não conseguiu nem explicar as circunstâncias da morte", afirmou a fonte israelense.

"Nem sequer há provas de que (Mabhuh) tenha sido assassinado. Tudo o que se veem nos vídeos são pessoas que falam ao telefone", acrescentou.

Por esse motivo, considerou "ridículas" as ameaças de Dubai de emitir uma ordem internacional de prisão contra o chefe do Mossad , Meir Dagan.

O chefe de polícia de Dubai afirmou na quinta-feira que "se for confirmado que o Mossad está por trás do crime, o que parece agora possível, a Interpol deveria emitir uma notificação vermelha para o chefe do Mossad, porque seria um assassino".

As notificações vermelhas da Interpol são avisos de busca internacional para uma extradição.

Circuito interno

O líder do Hamas foi morto em um quarto de hotel em Dubai. A polícia de Dubai divulgou imagens do circuito interno de TV do hotel que mostram os suspeitos disfarçados de turistas, usando perucas e barbas falsas.


Imagem do circuito interno do hotel mostra o líder do Hamas (de blusa preta)
sendo seguido por seu suposto assassino / Reuters

Segundo as autoridades locais, o trabalho "foi executado por um time profissional, altamente habilitado para esse tipo de operação". De acordo com alguns relatos, Al-Mabhouh estaria em Dubai para comprar armamentos para o Hamas.

Segundo a polícia, dois suspeitos palestinos que teriam fugido para a Jordânia também estariam sendo questionados sobre o assassinato.

* Com AFP e informações da BBC Brasil

Leia também:

Leia mais sobre Hamas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.