Israel quer detectar alvo de ataques com novo sistema antimísseis

Um novo sistema em desenvolvimento pela Força Aérea israelense poderá detectar o local exato da queda de mísseis lançados contra o território de Israel. Com o novo sistema, as autoridades poderão alertar a tempo a população da área exata que será atingida para que procure abrigos antiaéreos.

BBC Brasil |

De acordo com o analista militar do jornal Haaretz, Amos Harel, a Força Aérea israelense está desenvolvendo um sistema que possibilitará uma avaliação dos possíveis alvos de mísseis lançados contra o país dez vezes mais exata e específica do que as avaliações atuais.

Quando o novo sistema for implementado, o território israelense será dividido em 100 zonas, em vez das dez zonas atuais, e será possível saber exatamente em que local o míssil lançado deverá explodir - assim, apenas a população da zona específica deverá entrar em abrigos antiaéreos.

Durante a primeira Guerra do Golfo, em 1991, o território israelense foi dividido em apenas seis zonas e, a cada vez que um míssil era lançado a partir do Iraque, centenas de milhares de pessoas eram instruídas para entrar nos abrigos antiaéreos.

Já na segunda Guerra do Líbano, quando Israel foi atingido por milhares de foguetes lançados pelo Hezbollah, o território foi dividido em dez zonas, tornando mais específicos os alertas à população.

Sensores e radares
Em 2009, o país será dividido em 27 zonas de alarme e, com o final da implementação do novo sistema, em 2010, haverá 100 zonas.

Segundo o analista, o sistema será baseado em sensores eletroópticos e em radares e deverá servir como complemento ao sistema de radares fornecido em setembro pelos Estados Unidos - que serve para detectar o momento exato do lançamento de mísseis, mesmo a longa distância.

O objetivo principal, tanto do novo sistema israelense como dos radares americanos já instalados no sul de Israel, é fornecer uma proteção à população civil israelense de possíveis ataques iranianos.

De acordo com Ron Ben Ishai, analista militar do jornal Yediot Ahronot, o sistema de radares americano "tem vantagens que nenhum outro sistema semelhante no mundo tem e envia uma mensagem ao Irã de que a partir de agora a chance de atingir Israel é bem menor".

O sistema de radares americano detecta imediatamente o lançamento de mísseis e o movimento de aviões em uma distância de mais de 2 mil quilômetros.

Caso haja ataques por parte do Irã, a população de Israel terá de 13 a 15 minutos para procurar abrigos seguros.

Segundo Ishai, os alertas dos radares também aumentam as possibilidades de que a Força Aérea israelense possa derrubar os mísseis ainda no espaço.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG