Israel propõe a Hezbollah trocar libaneses presos por soldados

Por Dan Williams JERUSALÉM (Reuters) - O governo de Israel comunicou à guerrilha do Hezbollah, por intermédio de mediadores alemães, que está disposto a libertar combatentes libaneses presos no país em troca de dois soldados sequestrados em 2006, informaram neste domingo fontes da segurança israelense.

Reuters |

No topo da lista proposta está Samir Qantar, que cumpre pena de prisão perpétua por uma incursão que causou mortes em 1979. Anteriormente, autoridades israelenses haviam descrito Qantar como 'peça de barganha' para o retorno de um aviador israelense desaparecido.

Israel deslanchou uma ofensiva de 34 dias no Líbano depois que os reservistas do Exército Ehud Goldwasser e Eldad Regev foram capturados em uma emboscada do Hezbollah., mas depois iniciou conversações indiretas para reavê-los -- em meio a dúvidas sobre se eles estão de fato vivos.

O Hezbollah, uma milícia xiita apoiada pelo Irã e que vem tentando aumentar seu poder no Líbano desde a custosa guerra, tem dito que trocaria os soldados por libaneses presos em Israel, bem como por um número não especificado de prisioneiros palestinos.

'A posição de Israel é a de que está disposto a soltar Qantar e outros presos libaneses em troca de Regev e Goldwasser,' disse uma fonte israelense, excluindo implicitamente palestinos de qualquer acordo.

Uma outra fonte de segurança descreveu essa contra-oferta como um 'pegar ou largar', depois que uma investigação militar descobriu que um ou ambos os soldados pode não ter sobrevivido à emboscada.

Especulações sobre um acordo emergiram este mês depois que Israel repatriou um espião libanês que havia cumprido sua pena de prisão e o Hezbollah entregou a Israel os restos de cinco soldados.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG