Israel prende mais de 50 palestinos na Cisjordânia

Detenção representa a chegada à região de Hebron da atual onda de violência na Faixa de Gaza

EFE |

Mais de 50 palestinos, entre eles varias personalidades e familiares vinculados ao movimiento islamita Hamás, foram detidos pelo Exército israelense na maior ação deste tipo na região de Hebrom desde 2003, informaram à Agência Efe fontes oficiais.

Entre os detidos está o legislador Mohamed Abu Dheishe e vários filhos de membros do Hamás, destacou Samira Halaik, deputada pela região.

O Exército israelense penetrou de madrugada com entre 50 e 100 veículos na cidade de Hebrom, no sul do território ocupado da Cisjordânia, e em povoados vizinhos como Dura, Surif, Beit Umma, Yatta e Samua.

Os soldados entraram em várias casas na maior operação efetuada por Israel desde 2003, em plena Segunda Intifada. A agência oficial "Wafa" fala em 40 presos. Consultado pela Efe, o Exército israelense não quis se pronunciar no momento sobre a informação.

A detenção em massa representa a chegada à Cisjordânia da atual escalada de violência em torno da Faixa de Gaza , na qual 15 palestinos e um israelense morreram, originada em uma cadeia de atentados no sul de Israel na quinta-feira passada.

O Hamás não está por trás do ataque de quinta-feira nem dos posteriores lançamentos de projéteis a partir de Gaza, segundo reconheceu Yoav Mordejai, portavoz do Exército de Israel, que não obstante considera o grupo responsável pelos mesmos porque governa a região, informou neste domingo a rádio pública israelense.

* EFE

    Leia tudo sobre: ISRAEL PALESTINOS

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG