Jerusalém, 4 dez (EFE).- Israel permitiu hoje a entrada de jornalistas e voluntários internacionais na Faixa de Gaza, após um mês de fechamento de fronteiras, informaram fontes do Ministério da Defesa israelense.

O porta-voz do Ministério da Defesa israelense, Ronen Moshé, confirmou á Agência Efe a abertura hoje do posto fronteiriço de Erez, no norte de Gaza, para jornalistas e trabalhadores de organizações humanitárias, que não conseguiam entrar neste território palestino desde 6 de novembro.

Uma porta-voz da Associação de Imprensa Estrangeira (FPA) em Israel e nos territórios palestinos, que durante o último mês denunciou o fechamento de Gaza para profissionais da informação, manifestou à Efe seu "alívio" pela notícia da abertura e disse que espera que "incidentes como este nunca mais voltem a ocorrer".

Esta organização acusou várias vezes Israel de "não respeitar a liberdade de imprensa" e "violar a liberdade de informação" pelas quatro semanas do que qualificou de "fechamento sem precedentes".

O Ministério da Defesa de Israel decidiu fechar as passagens para Gaza, onde vivem 1,5 milhão de pessoas, em 5 novembro, em resposta ao lançamento de foguetes de fabricação caseira das milícias armadas palestinas.

Os ataques palestinos ocorreram depois que Israel realizou, na noite anterior, uma incursão na Faixa de Gaza, com a morte de seis milicianos.

Depois, começou uma onda de violência e contínuas violações à trégua estabelecida em junho entre Hamas e Israel, sobre as quais a imprensa estrangeira não pôde informar a partir do local dos eventos. EFE aca/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.