Israel pede que Nasrallah seja detido e julgado por assassinato de Hariri

Jerusalém, 24 mai (EFE).- O ministro israelense de Assuntos Exteriores, Avigdor Lieberman, pediu hoje que se detenha e julgue o líder do Hisbolá, Hassan Nasrallah, por sua suposta implicação no assassinato em 2005 do ex-primeiro-ministro libanês Rafik Hariri.

EFE |

"Deveria ser emitida uma ordem internacional de busca e captura de Nasrallah e que fosse submetido a julgamento", disse antes da reunião dominical do conselho de ministros.

Lieberman, líder do partido ultradireitista Yisrael Beiteinu, reagiu assim à publicação hoje pelo semanário alemão "Der Spiegel" de um artigo com dados reservados da investigação que aponta um comando especial do grupo libanês xiita Hisbolá como autor do assassinato de Hariri.

"A informação sobre o envolvimento de Nasrallah no assassinato do primeiro-ministro deve enviar um sinal de alarme à comunidade internacional", acrescentou o responsável pela diplomacia israelense.

O artigo de "Der Spiegel" se baseia em uma fonte não identificada do tribunal extraordinário da ONU constituído em março passado para julgar o assassinato de Hariri, efetuado com um carro-bomba que matou outras 22 pessoas.

O Hisbolá qualificou hoje essas informações de "mentiras" fabricadas "de modo deliberado" que buscam "influir na atmosfera eleitoral no Líbano" com vistas às eleições que serão realizadas no próximo dia 7. EFE ap/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG