Israel pede a seus cidadãos que evitem o Sinai egípcio

O departamento israelense de luta antiterrorista desaconselhou que os cidadãos do país viajem à península egípcia do Sinai, em conseqüência das ameaças de atentado.

AFP |

"Afirmo que qualquer pessoa que vá a esta região por ocasião da Pesah (Páscoa judaica) põe sua vida e sua segurança em perigo", declarou o general da reserva Elkana Har-Nof, diretor do departamento.

Har-Nof também afirmou que os turistas israelenses que se encontram atualmente no Sinai devem abandonar a região o mais rápido possível por causa dos riscos de atentados e seqüestros.

Segundo a imprensa de Israel, milhares de israelenses pretendem celebrar a Páscoa judaica, a partir de 19 de abril, em hotéis e centros de férias do litoral do Mar Vermelho no Sinai egípcio.

Esta região foi cenário de três atentados fatais, em abril de 2006 em Dahab (22 mortos), en julho de 2005 em Sharm el-Sheikh (70 mortos) e em outubro de 2004 em Taba (34 mortos, sendo 11 israelenses).

ChW/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG