Israel omite ocupação de territórios palestinos em relatório à ONU

Genebra, 4 dez (EFE) - Israel apresentou hoje um relatório diante do Conselho de Direitos Humanos da ONU no qual destacou o fato de ter construído uma sociedade democrática, mas sem mencionar os territórios palestinos ocupados, o que gerou críticas por parte dos presentes. Na apresentação do relatório, em Genebra, o embaixador israelense Aharon Leshno Yaar disse que Israel sente orgulho de ter conseguido construir uma sociedade democrática, que repousa sobre o Estado de direito. Ele também ressaltou que oito relatores especiais das Nações Unidas puderam visitar e fazer investigações em Israel nos últimos três anos. Além disso, insistiu na coragem da Corte Suprema e da sociedade civil israelense na defesa dos direitos humanos. No entanto, o relatório do Governo israelense não menciona a responsabilidade de Israel na ocupação dos territórios palestinos, o que surpreendeu muitos oradores. De fato, mais de 50 países denunciaram as múltiplas restrições e violações aos direitos humanos cometidas por Israel. A construção do muro de separação, a extensão dos assentamentos de colonos, a demolição de casas palestinas, o bloqueio da Faixa de Gaza, o tratamento aos detidos e aos menores palestinos e os obstáculos à liberdade de circulação na Cisjordânia foram alguns dos assuntos criticados. Entre os países ocidentais, Alemanha, Canadá, França e Suíça insistiram na necessidade de levantar o bloqueio de Gaza. No final da discussão do relatório, o embai...

EFE |

Os 192 membros da ONU devem apresentar a cada quatro anos um relatório completo sobre o respeito aos direitos humanos perante este Conselho. EFE mh/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG