Israel nega ter intenção de intervir na América do Sul

Bogotá, 28 jul (EFE).- O ministro das Relações Exteriores de Israel, Avigdor Liberman, assegurou hoje em Bogotá que o país não tem a intenção de interferir nos problemas da América do Sul.

EFE |

"Nós (os israelenses) temos problemas suficientes em nossa região (o Oriente Médio)", afirmou Liberman, que iniciou hoje na capital colombiana uma visita oficial de dois dias.

Com esta afirmação, Liberman respondeu às críticas que recebeu do presidente venezuelano, Hugo Chávez, ao fazer referência também às relações deste com o Governo iraniano, cuja presença na região é considerada como um perigo por Israel.

Este assunto e a eventual presença do grupo islâmico libanês Hisbolá na América Latina centrou a agenda de Liberman em sua viagem pela região, que teve início na semana passada e que terminará na Colômbia após uma visita ao Brasil, à Argentina e ao Peru.

"O presidente Chávez é muito famoso por sua maneira de enfrentar as situações e por sua estranha forma, estranho idioma em relação com Israel e, talvez, com outras nações da comunidade internacional", observou o ministro.

O chanceler israelense disse que os problemas que o presidente venezuelano enfrenta na região são da Venezuela, como país do âmbito sul-americano.

"Nós não temos nenhuma intenção de interferir nestes problemas da América do Sul", disse Liberman durante uma entrevista coletiva com seu colega da Colômbia, Jaime Bermúdez.

"Parece que hoje Israel deve ser cada vez mais ativa neste continente, porque vamos desempenhar um papel maior na comunidade internacional e na política internacional", afirmou.

Neste contexto, o ministro lembrou que Israel teve a "má experiência" de dois ataques terroristas na região, ambos na Argentina. EFE jgh/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG