Israel nega ajuda a missão da ONU que investiga ataque a Gaza

Nações Unidas, 1 jun (EFE).- O ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak, confirmou hoje que o Governo não cooperará com a comissão da ONU liderada pelo juiz sul-africano Richard Goldstone que investiga as violações aos direitos humanos na última ofensiva israelense ao território palestino.

EFE |

"Sabendo como funcionam estas operações, não acho que Israel deva ou vá cooperar com estes interrogatórios, e digo isso apesar de o juiz Goldstone ser respeitado no mundo todo", assegurou Barak ao fim de uma reunião com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.

Barak ressaltou que a comissão das Nações Unidas não poderá elaborar um relatório "equilibrado" porque o Hamas a impedirá de investigar as "ações terroristas" cometidas por militantes palestinos, entre elas o bombardeio com foguetes de localidades israelenses.

O ministro de Defesa israelense disse que, na reunião com Ban, também falaram da situação de segurança no Oriente Médio, e reiterou a solicitação de cooperação de Israel para conseguir a libertação do soldado Gilad Shalit, sequestrado em 2006.

Os membros da comissão de investigação liderada por Goldstone chegaram hoje a Gaza, após fazer a passagem pelo posto fronteiriço de Rafah, no Egito.

A missão permanecerá em território palestino cerca de uma semana e se reunirá "com todas as partes envolvidas, incluindo ONG, agências das Nações Unidas, vítimas e testemunhas de violações denunciadas, assim como com outras pessoas que possam fornecer informação relacionada com os fatos investigados", explicou a ONU.

EFE jju/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG