Israel não se conterá se for atacado por Hisbolá no Líbano, diz Olmert

Jerusalém, 19 ago (EFE) - O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, advertiu hoje de que o país não se conterá se for atacado pelo Hisbolá a partir de um Líbano eventualmente sob controle da milícia xiita. Israel tem instrumentos e capacidades em massa que se conteve de empregar durante os 33 dias de conflito com o Hisbolá em 2006, porque combatia uma organização terrorista, e não um Estado, disse durante uma visita à sede do comando militar encarregado da retaguarda, segundo um comunicado de seu escritório. Mais de mil libaneses, em sua maioria civis, e 163 israelenses, principalmente soldados, morreram nesse confronto, desencadeado após a captura, por parte do Hisbolá, de dois soldados israelenses. Se agora o Líbano se tornasse terra do Hisbolá e a milícia xiita atacasse o Estado Judeu, desta vez Israel não se conteria, ressaltou Olmert. Não haveria uma situação de luta à distância, na qual a vida continua como de costume nas principais cidades. A guerra alcançaria as cidades e casas dos cidadãos israelenses, afirmou.

EFE |

Nesta situação, "nos veríamos forçados a colocar fim às hostilidades rapidamente, com o menor custo possível, usando nossa vantagem comparativa".

Estas declarações foram feitas uma semana depois que o Parlamento libanês concedeu sua confiança ao Governo de Fouad Siniora, no qual o Hisbolá conta com direito de veto.

O programa deste Executivo outorga ao Hisbolá o direito de empregar qualquer meio para "libertar terra ocupada por Israel". EFE ap/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG