Israel mudará traçado de barreira na Cisjordânia

Israel concordou em mudar a rota da controvertida barreira que está construindo na Cisjordânia, em resposta a queixas apresentadas por palestinos à Suprema Corte israelense. O governo israelense disse que vai colocar a barreira mais perto do assentamento de Maale Adumim, o maior da área, permitindo que 400 hectares de terras palestinas permaneçam intactas.

BBC Brasil |

Maale Adumim foi construído em terras reclamadas pelos palestinos para seu futuro Estado e, como todos os assentamentos, é considerado ilegal pelas leis internacionais. Israel rejeita essa tese.

Os palestinos dizem que a barreira fere sua liberdade de movimentos e rouba-lhes a terra, enquanto Israel diz que ela é necessária para impedir ataques de militantes.

Linha Verde
Israel começou a contruir a barreira na Cisjordânia em 2002.

Ela tem sido amplamente criticada pela comunidade internacional por entrar em áreas palestinas em volta de assentamentos israelenses, ao invés de seguir o traçado da chamada Linha Verde, que marca as fronteiras que separam Israel da Cisjordânia.

A Corte Internacional de Justiça decidiu em 2004 que a barreira é ilegal onde entra na Cisjordânia e pediu que ela fosse desmantelada.

Só duas das cinco alterações de rota ordenadas anteriormente pelo Supremo Tribunal foram feitas pelo governo israelense.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG