Israel mantém praias fechadas devido a barris explosivos

Jerusalém, 3 fev (EFE). A Polícia israelense manteve hoje o fechamento de todas as praias situadas ao norte da Faixa de Gaza e até Tel Aviv, numa faixa de quase 100 quilômetros, por medo de que barris explosivos lançados na água por grupos armados palestinos alcancem a costa.

EFE |

A operação policial, que começou há dois dias com a aparição dos dois primeiros barris em praias das cidades de Ashkelon e Ashdod, inclui a revisão de toda a zona litorânea por terra e ar.

Um terceiro explosivo foi detectado hoje na praia de Palmahim, ao sul de Tel Aviv, e foi detonado de forma controlada por policiais.

As autoridades israelenses temem que novos barris flutuantes apareçam ao longo dos próximos dias.

Os dois primeiros explodiram no fim de semana em alto-mar, mas as patrulhas da Marinha israelense não deram muita importância ao ocorrido.

Só na segunda-feira, com a aparição dos barris em Ashdod e Ashkelon, a Polícia elevou o alerta em toda a costa de Israel devido ao temor de que cheguem ao norte devido às condições do tempo.

Duas milícias palestinas da Faixa de Gaza assumiram ter jogado os barris na água e afirmar ter mandado explosivos pelo mar ao território israelense para vingar a morte de Mahmoud al Mabhuh, dirigente do braço armado do Hamas, ocorrida em Dubai no mês passado.

Os Comitês Populares da Resistência - facção armada ligada ao Hamas - e a Jihad Islâmica informaram hoje em comunicado conjunto que seus milicianos conseguiram atravessar a fronteira entre Gaza e Israel pelo Mar Mediterrâneo para levar os barris à costa israelense. Depois, voltaram à Faixa de Gaza.

Em resposta ao lançamento dos barris, a aviação israelense efetuou hoje vários bombardeios contra o sul da Faixa, matando um jovem palestino. EFE elb/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG