Israel libertou nesta segunda-feira outros 198 presos políticos palestinos, entre eles os dois que estavam há mais tempo atrás das grades, num gesto de boa vontade para com o presidente Mahmud Abbas.

A libertação deste grupo de presos acontece antes de uma nova visita à Israel e aos territórios palestinos da secretária de Estado americano, Condoleezza Rice.

O presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas, no entanto, afirmou que não haverá paz com Israel até que todos os presos palestinos sejam libertados.

Abbas fez esta declaração na Muqata, seu quartel-general em Ramallah, onde recebeu os palestinos libertados por Israel.

"A libertação deste grupo nos enche de alegria, mas não ficaremos tranqüilos até que sejam libertados todos os presos, os 11.000 que continuam esperando", afirmou Abbas.

Num primeiro momento, tanto Israel quanto os palestinos haviam anunciado a libertação de 199 prisioneiros.

Reagrupados no centro de detenção israelense de Ofer, os presos palestinos, em sua maioria, beijaram o chão ao sair dos ônibus que deixaram no posto de Beitunia, na entrada de Ramallah, Cisjordânia.

O preso palestino de maior idade, Said Al Attaba, de 56 anos, que desde 1977 cumpria condenação perpétua, e Mohammad Ibrahim Abu Ali, ou "Abu Ali Yatta", preso há 30 anos, fazem parte dos libertados.

Ambos pagavam penas de prisão perpétua por terem sido considerados culpados de participação em ataques sangrentos contra Israel.

É a primeira vez que o governo israelense aceita libertar palestinos condenados por atentados com vítimas fatais.

A última libertação por parte de Israel remonta a 3 de dezenbro, quando 429 palestinos foram libertados.

"Esperamos que esta medida contribua para instaurar um clima positivo e incentivar o processo de paz", declarou à AFP Marc Regev, porta-voz do primeiro-miinstro israleense Ehud Olmert.

"É um dia de alegria para todos os combatentes da liberdade e da independência", declarou Attaba ao chegar a Ramallah.

Dezenas de palestinos, principalmente amigos e parentes, receberam os prisioneiros agitando bandeiras e cantando hinos patrióticos.

A secretária de Estado americana, que realiza sua 18a. viagem à região em dois anos, manterá várias reuniões sobre as negociações israelenses-palestinas.

Esta também é a sétima viagem de Rice para esta região desde a conferência de Annapolis (Estados Unidos) em novembro de 2007, na qual israelenses e palestinos retomaram as negociações, mas a corrida contra o tempo da chanceler americana se tornou mais difícil depois da renúncia do premier israelense Ehud Olmert.

O alto negociador palestino Saeb Erakat indicou à AFP que Rice se encontrará na segunda com o presidente da Autoridade Palestina Mahmud Abbas e na terça manterá conversas tripartites com sua colega israelense Tzipi Livni e o chefe dos negociadores palestino Ahmad Qorei.

bur-ezz/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.