Israel libera 1ª universidade em colônia na Cisjordânia

Jerusalém, 20 jan (EFE).- O Ministério da Defesa israelense, que controla boa parte do território palestino ocupado na Cisjordânia, anunciou hoje que aprovará que um centro de estudos na colônia judaica de Ariel seja transformado em universidade.

EFE |

Com a decisão, o ministro da Defesa, Ehud Barak, libera a criação da primeira universidade israelense em um assentamento. A medida foi duramente criticada pelos partidos árabes e de esquerda, que consideram que reforça a colonização dos territórios palestinos e levará a um boicote acadêmico internacional a Israel.

Como noticia hoje o jornal "Ha'aretz" na internet, a decisão foi tomada após fortes pressões do chanceler e líder da extrema direita, Avigdor Lieberman, colono e peso pesado na coalizão de Governo.

O chefe da diplomacia israelense ameaçou votar contra todas as propostas no Parlamento até que fosse dado o status de universidade ao instituto de Ariel.

O Governo israelense aprovou em 2005 a criação de uma universidade na colônia. Dois anos mais tarde, o instituto de Ariel se autodenominou centro universitário, o que foi criticado pelo Ministério da Educação.

Há alguns meses, o Governo da Espanha expulsou a uma equipe do instituto de Ariel de uma competição de arquitetura. A alegação foi de que, de acordo com o direito internacional e os princípios da União Europeia, que não reconhecem juridicamente os territórios ocupados, não podia permitir a participação dos estudantes.

O crescimento da presença judaica em territórios palestinos na Cisjordânia é um dos principais empecilhos para o reatamento das conversas de paz, estagnadas há mais de um ano. EFE aca/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG