Israel investigará supostas escutas ilegais de vice-presidente Haim Ramon

Jerusalém, 6 jul (EFE).- O Governo de Israel decidiu hoje autorizar a abertura, por parte da Controladoria do Estado, de uma investigação das escutas ilegais da Polícia e da Promotoria sobre as comunicações do atual vice-presidente do país, Haim Ramon.

EFE |

Em sua reunião semanal, o Gabinete aprovou outorgar esta manhã ao Controlador do Estado, Micha Lindenstrauss, poderes extensivos para investigar o caso, informou o jornal "Yedioth Ahronoth" em sua versão digital.

As supostas escutas teriam ocorrido pouco antes do julgamento de Ramón por assédio sexual, no qual foi condenado e pelo qual teve que renunciar a seu cargo de ministro da Justiça.

Um juiz de Tel Aviv declarou o atual vice-presidente culpado de abuso sexual em janeiro de 2007, por forçar um beijo na boca de uma jovem do Exército israelense durante uma festa.

Ramón foi condenado a cumprir 120 horas de trabalhos públicos, após ter sido considerado culpado de um fato indecente, mas não imoral. EFE aca/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG