construções nos assentamentos israelenses enquanto o vice-presidente americano, Joe Biden, visitava o país." / construções nos assentamentos israelenses enquanto o vice-presidente americano, Joe Biden, visitava o país." /

Israel investigará por que anúncio de novas colônias ocorreu durante visita de vice dos EUA

O primeiro-ministro de Israel, Benyamin Netanyahu, montou uma equipe para investigar por que autoridades anunciaram novas http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2010/03/09/durante+visita+de+vice+dos+eua+israel+aprova+mais+1600+casas+em+jerusalem+oriental+9421981.htmlconstruções nos assentamentos israelenses enquanto o vice-presidente americano, Joe Biden, visitava o país.

iG São Paulo |

"Houve um infeliz incidente não intencional, e ele foi danoso e obviamente não deveria ter ocorrido", afirmou Netanyahu neste domingo, em referência ao mal-estar que o anúncio causou com o governo de Barack Obama.

Na sexta-feira, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, disse a Netanyahu que o anúncio da construção de 1.600 novas casas em Jerusalém Oriental  prejudicou a relação entre os dois países e a confiança dos EUA quanto ao comprometimento de Israel com o processo de paz.

Segundo o Departamento de Estado, Clinton telefonou ao premiê israelense na manhã de sexta-feira para "deixar claro que os EUA consideram o anúncio um sinal profundamente negativo sobre a abordagem de Israel para com a relação bilateral e contrário ao espírito da viagem do vice-presidente".

O chefe de governo israelense definiu a situação atual com os EUA, seu principal aliado, como "crise" e pediu seriedade para enfrentá-la.

Além de o anúncio da ampliação da colônia judaica de Ramat Shlomo, em Jerusalém Oriental, ter ocorrido terça-feira durante a visita de Biden, também foi feito um dia depois de a Casa Branca confirmar o início de negociações indiretas entre israelenses e palestinos .

O primeiro-ministro israelense convocou na noite de sábado uma reunião de urgência com seus seis principais ministros e pediu neste domingo que seu gabinete não fale em público sobre a crise.

*Com informações da EFE

Leia também:

Leia mais sobre Oriente Médio

    Leia tudo sobre: israeloriente médiopalestinos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG