GAZA - Uma lancha da Marinha de Israel impediu nesta terça-feira a entrada de um barco com militantes pró-palestinos que tentava romper o bloqueio imposto por Israel à Faixa de Gaza com ajuda humanitária, informou a rádio militar israelense. O Dignity havia sido fretado pelo Free Gaza Movement para levar ajuda médica a Gaza.

Os organizadores da travessia confirmaram o choque com a lancha israelense, mas afirmaram que os danos sofridos pelo "Dignity" não impedem a navegação.

Segundo a rádio, embarcação militar fez vários disparos de advertência e a tripulação afirmou que prevalecia uma situação de guerra em Gaza e que o barco deveria retornar, mas este tentou evitar a lancha, que então bloqueou a passagem e provocou a colisão.

Ninguém ficou ferido, mas os dois barcos sofreram avarias. Em seguida, a embarcação dos militantes pró-palestinos voltou para alto-mar.

A bordo do "Dignity" viajavam, entre outros, Cynthia McKinney, ex-congressista americana e candidata do Partido Verde à presidência, e Sami al-Hajj, jornalista do canal Al-Jazeera que esteve detido em Guantánamo.

Paul Larudee, um dos fundadores do 'Free Gaza Movement', afirmou que o barco foi cercado a 70 km da costa israelense, em águas internacionais, e 135 km do destino em Gaza.

"Foi cercado por 11 barcos israelenses. Ordenaram a nosso barco que parasse e foi isso que fizemos. Começaram a atirar em direção a nosso barco e na água ao redor. Como nosso barco não deu meia-volta, um dos navios se chocou contra ele, mas não o suficiente para impedir a navegação", disse.

O "Dignity", que fez cinco viagens a Gaza desde agosto, apesar do bloqueio israelense, transportava de três a quatro toneladas de material médico.

Segundo o último balanço anunciado pelos serviços de emergências da Faixa de Gaza, os ataques israelenses desde sábado deixaram 360 mortos e 1.690 feridos.



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.