Israel fez exercícios militares simulando ataque ao Irã

O exército de Israel realizou manobras militares no início deste mês simulando um teste para um possível ataque a instalações nucleares iranianas, de acordo com funcionários americanos citados nesta sexta-feira pela imprensa dos Estados Unidos.

AFP |

Mais de 100 aviões de combate F-16 e F-15 israelenses participaram de manobras ao longo do leste do Mediterrâneo e na Grécia durante a primeira semana de junho, para preparar ataques à distância, demonstrando a "preocupação de Israel em responder às ambições nucleares do Irã", anunciou o New York Times.

Helicópteros, que poderiam ser utilizados para resgatar pilotos de aviões abatidos, também participaram destas manobras, assim como aeronaves de reabastecimento, que voaram quase 1.500 quilômetros, aproximadamente a distância que separa Israel e o centro de enriquecimento de urânio iraniano de Natanz, acrescentou o site do The New York Times.

Um funcionário do Pentágono citado pelo jornal afirmou que um dos objetivos desse exercício foi enviar mensagem mostrando que Israel estava pronto para a ação militar se os esforços diplomáticos para levar Teerã a desistir de produzir armas nucleares fracassarem.

"Eles querem que nós saibamos, eles querem que os europeus saibam, e eles querem que os iranianos saibam", disse essa autoridade.

"A força aérea israelense treina regularmente para missões variadas", disse à AFP um porta-voz do exército, em Tel Aviv, sem dar mais informações.

Em 6 de junho, o vice-primeiro-ministro israelense, Shaul Mofaz, disse que um ataque contra instalações nucleares iranianas poderia ser considerado, no momento em que as sanções internacionais contra o Irã se revelassem ineficazes.

"Se o Irã prosseguir o seu programa de armas nucleares, estão atacaremos" disse Mofaz ao jornal Yediot Aharonot.

Mofaz havia assinalado, no entanto, que essa operação poderia ser feita apenas com o apoio dos EUA.

Por sua vez, um importante sacerdote iraniano afirmou que a resposta para um ataque seria "terrível".

"Se os inimigos, especialmente os israelenses e os seus aliados nos EUA, buscarem usar a força, eles certamente vão receber um terrível golpe", disse o aiatolá Ahmad Khatami, em discurso transmitido por rádio.

"Se você se aproxima do Irã islâmico de forma hostil, você enfrentará um rugido de nossa nação unida que, sem dúvida, vai fazer com que se arrependa de qualquer ação contra nós", acrescentou.

aet/fb/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG