Israel festeja 60º aniversário em dia de luto para palestinos

Ana Cárdenes Jerusalém, 8 mai (EFE) - Israel comemorou hoje em grande estilo o 60º aniversário de sua fundação com desfiles militares e milhares de churrascos, enquanto os palestinos mostravam seu luto e pediam o retorno àqueles que um dia foram seus lares, que após a Guerra de 1948 passaram a ficar onde agora é território israelense. Dezenas de milhares de pessoas encheram a praia e o passeio marítimo de Tel Aviv, onde as Forças de Defesa de Israel fizeram uma parada aeronaval, da qual participaram unidades da Marinha e helicópteros e aviões de combate, entre eles um F-15, que fez uma exibição de vôo acrobático. Uma esquadrilha da Força Aérea desenhou o número 60 com o jato de fumaça de seus propulsores, para dar lugar, pouco depois, ao salto de pára-quedistas, que também desenharam o 60 no céu. Por outro lado, mais de 50 pára-quedistas saltaram sobre o mar, com a má sorte de que um deles, devido à força do vento, caiu sobre um grupo de espectadores, ferindo cinco pessoas. As exibições militares se repetiram nas principais cidades do país e foram acompanhadas dos parques por um grande público que organizou piqueniques, seguindo a tradição festiva deste dia. É um dia que se vive este ano com maior intensidade, disse à Agência Efe Herzl Inbar, ex-embaixador de Israel na Espanha, enquanto realizava um churrasco nos arredores de Jerusalém com sua família. Este aniversário é especial porque em Israel há fascinação pelos números redondos e, além ...

EFE |

Segundo Saqqa, "os habitantes dessas casas ou seus filhos ou netos certamente não encontrarão as casas das quais guardam as chaves porque foram destruídas, mas guardam o desejo de retornar, de recuperar seus direitos legítimos reconhecidos pela legislação internacional".

Essas chaves, antigas, grandes e oxidadas, que passaram de geração em geração e que em muitos lares palestinos ficam penduradas em quadros nas paredes, também são importantes, segundo Saqqa, pois constituem "o símbolo que nos dá a força para continuar lutando para recuperar nossos direitos".

As manifestações para reivindicar o direito de retorno e denunciar a ocupação se estenderam por toda Cisjordânia e Gaza, onde a "Nakba" será lembrada oficialmente na próxima quinta-feira.

A Autoridade Nacional Palestina (ANP) hasteou bandeiras nacionais com uma fita em sinal de luto, coordenou um protesto e convocou uma greve parcial de uma hora não apenas nos territórios ocupados, mas também nos países árabes vizinhos.

Ao redor da Muqata (sede da ANP na cidade de Ramala, na Cisjordânia), foram instaladas 600 tendas de campanha que simbolizam os povos arrasados por Israel e o exílio ao qual seus habitantes foram submetidos.

Dos territórios é possível observar no céu, ao longe, as acrobacias dos aviões militares israelenses, cujo rastro tem um significado muito diferente para cada um destes dois povos, que há 60 anos lutam por uma mesma terra. EFE aca/rb/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG