Israel fecha acesso a Cisjordânia e aumenta segurança em Jerusalém

O ministro israelense da Defesa, Ehud Barak, ordenou o fechamento total do território palestino da Cisjordânia por 48 horas, da meia-noite de quinta-feira até a meia-noite de sábado.

iG São Paulo |

O Exército israelense cerca sistematicamente a Cisjordânia por ocasião de cada festa judaica. Essa é a primeira vez em dois anos que a medida é adotada sem ter como motivação qualquer celebração em Israel.

AP
Impedido de ir à Esplanada das Mesquitas, palestino reza do lado de fora da Cidade Antiga de Israel

Impedido de ir à Esplanada das Mesquitas, palestino
reza do lado de fora da Cidade Antiga de Israel

O fechamento foi motivado por "razões de segurança", levando em consideração o risco de atentados, segundo o Exército.

Ao mesmo tempo, a polícia israelense mobilizou reforços em Jerusalém Oriental e proibiu o acesso à Esplanada das Mesquitas, terceiro lugar mais sagrado para o Islã e situado na velha cidadela amuralhada de Jerusalém, aos homens jovens durante a grande oração da sexta-feira.

Só poderão ir ao local os muçulmanos que tenham passaporte israelense e, no caso dos homens, apenas os maiores de 50 anos, informou o porta-voz da polícia israelense, Miki Rosenfeld.

"Aumentamos a segurança dentro e ao redor de Jerusalém Oriental para impedir que haja revoltas após as orações desta sexta-feira", disse o porta-voz. Segundo a imprensa local, o Ministério de Defesa ordenou o fechamento após receber relatórios dos serviços de inteligência sobre planos palestinos de realizar manifestações em Jerusalém neste fim de semana.

No mês passado, houve confrontos às sextas-feiras após as orações muçulmanas do meio-dia em torno da Esplanada das Mesquitas. No dia 5, 80 pessoas, incluindo 20 policiais, sofreram ferimentos leves nos choques que aconteceram no lugar sagrado

AFP
Palestinos queimam bandeiras de EUA e Israel durante protesto

Palestinos queimam bandeiras de EUA e Israel durante protesto

Os militares permitirão a passagem nos dois sentidos entre Israel e Cisjordânia para os casos humanitários, assim como aos representantes de instituições religiosas e 550 professores.

A tensão aumentou durante a semana com a autorização do Ministério do Interior para a construção de 1.600 casas em um setor árabe de Jerusalém anexado por Israel .

Desde a segunda Intifada, em setembro de 2000, a Cisjordânia está submetida diariamente a fechamento. Poucos palestinos são autorizados a entrar em Israel diariamente.

A Faixa de Gaza está bloqueada por Israel desde que o movimento radical tomou o poder nesse território em junho de 2007.

*Com informações da EFE e AFP

Leia mais sobre Oriente Médio  - Israel - Palestina

    Leia tudo sobre: israeloriente médiopalestinos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG