Israel faz segunda pausa diária de bombardeios em Gaza

A segunda trégua diária dos bombardeios israelenses contra Gaza estava sendo respeitada nesta quinta-feira, e a população aproveitava a calma de três horas para armazenar mantimentos.

Redação com agências internacionais |

Muitos moradores faziam filas em padarias e armazéns, enquanto outros enchiam baldes e garrafas em fontes públicas.

Israel anunciou na quarta-feira que faria uma pausa diária de três horas nos bombardeios contra a Faixa de Gaza, iniciados em 27 de dezembro, com o objetivo de conter os disparos de foguetes do grupo radical islâmico Hamas contra o território israelense.


Palestinos atiram pedras em soldados israelenses / Reuters

Segundo o corresponde do iG em Israel, Nahum Sirotsky , a Faixa de Gaza estava em "tensa calmaria" durante o período do cessar-fogo humanitário diário.

A trégua, assim como na quarta-feira, teve início às 13h e terminou às 16h (12h de Brasília). A pausa também é aproveitada pelos serviços de emergência para atender os feridos e resgatar cadáveres entre os escombros.

Foguetes vindos do Líbano

A tensão aumentou nesta quinta-feira quando vários foguetes disparados do Líbano atingiram o norte de Israel , ferindo levemente duas pessoas.

Israel revidou com disparos de artilharia que o porta-voz do Exército israelense descreveu como "resposta precisa à fonte do ataque" - uma reação militar limitada que parece sinalizar o desejo de evitar uma escalada.

Ainda não está claro se a guerrilha libanesa do Hezbollah - contra quem Israel travou uma guerra em 2006 - dispararam os foguetes ou se eles foram lançados por palestinos. 

O Hezbollah  negou qualuqer participação nos disparos  e Israel culpa os palestinos que vivem no Líbano de lançar os foguetes.

O ataque vindo do Líbano é um novo desafio ao Estado judeu no 13º dia de campanha militar em Gaza.

13º dia de bombardeios

Autoridades médicas palestinas afirmam que pelo menos 683 palestinos morreram desde o início dos confrontos, em 27 de dezembro. Outros 3.085 teriam ficado feridos.

O número de mortos em Gaza não pode ser confirmado por fontes independentes.

Por outro lado, sete soldados israelenses já morreram nos confrontos em terra e quatro civis foram mortos por foguetes palestinos.

VEJA TAMBÉM:

ASSISTA AOS VÍDEOS

OPINIÃO

Leia mais sobre: Faixa de Gaza


    Leia tudo sobre: faixa de gaza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG