Israel entra em recessão depois de queda de 3,6% na economia

TEL AVIV (Reuters) - A economia israelense, fortemente dependente de exportações, entrou em recessão no primeiro trimestre de 2009, quando contraiu-se a uma taxa anual de 3,6 por cento, segundo dados preliminares do Central Bureau of Statistics. A queda no primeiro trimestre se segue a um recuo de 0,5 por cento no Produto Interno Bruto (PIB) do último trimestre de 2008. Economistas definem dois trimestres consecutivos de queda na economia como recessão.

Reuters |

O Banco de Israel previu um declínio de até 1,5 por cento no PIB para todo o ano 2009, enquanto o Ministério das Finanças baseou o Orçamento do país em uma queda estimada de 1 por cento na economia.

Excluindo o setor público, o PIB caiu a uma taxa anualizada de 4,2 por cento no primeiro trimestre.

O declínio no PIB reflete uma queda de 46,3 por cento nas exportações de bens e serviços, diante do enfraquecimento do comércio mundial, e de 27,8 por cento nos investimentos em ativos fixos, em bases anualizadas.

As exportações respondem por quase metade da atividade econômica israelense.

O consumo privado caiu a uma taxa anual de 4,3 por cento no trimestre, depois de um declínio de 4,9 por cento nos três últimos meses de 2008.

No terceiro trimestre do ano passado, o PIB de Israel havia subido 1,3 por cento.

(Reportagem de Tova Cohen)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG