Israel e Síria decidem continuar com negociações de paz

Ancara, 16 jun (EFE) - As delegações de Israel e Síria concordaram em prosseguir as negociações de paz em solo turco, após dois dias de conversas que terminaram hoje em Ancara, informou o Ministério de Assuntos Exteriores da Turquia em comunicado. A segunda rodada de negociações entre os dois países, em estado de guerra desde 1967, começou no domingo e concluiu hoje em um ambiente positivo, segundo a nota. Os dois assessores do primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, e a delegação síria fixaram as datas da próxima reunião na Turquia, que, como na ocasião anterior, será mantida em segredo. O jornal israelense Yedioth Ahronoth informou hoje que Olmert está interessado em um encontro pessoal com o presidente da Síria, Bashar al-Assad, para relançar as negociações de paz. O primeiro-ministro israelense teria pedido a seu assessor em assuntos diplomáticos, Shalom Turgeman, e a seu conselheiro pessoal, Yoram Turbovich, os dois enviados israelenses à Turquia, para que o processo seja acelerado. Segundo o jornal, a intenção do primeiro-ministro israelense seria tentar convencer Assad a fazer a reunião no marco da cúpula da União Pelo Mediterrâneo (UPM), convocada em Paris para julho e à qual ambos estão convidados. A primeira rodada de negociações ocorreu em Istambul de 19 a 22 de maio e terminou, segundo fontes oficiais turcas, com o estabelecimento de uma base comum para continuar os encontros. A linha Israel-Síria do processo de paz do O...

EFE |

Apesar disso, até agora não foi explicado o que seria a citada "base comum".

O requisito mais importante proposto pela Síria é a retirada de Israel das Colinas do Golã, ocupados pelos israelenses desde 1967.

Por sua parte, Israel espera que a Síria se afaste do Irã e corte seus vínculos com o grupo xiita Hisbolá e o movimento islâmico Hamas.

Ao revelar oficialmente o início das negociações, o Ministério de Exteriores turco afirmou, em maio, que "ambas as partes declararam sua intenção de dirigir estas conversas em boa fé e com a mente aberta".

"Decidiram continuar o diálogo entre eles de forma séria e persistente a fim de alcançar uma paz ampla, em concordância com os termos da Conferência de Madri", acrescentou. EFE amu/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG