Encontro ocorre um dia antes de premiê israelense, Benyamin Netanyahu, encontrar-se com líder americano em Washington

Ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak (à esq.), cumprimenta premiê palestino Salam Fayyad antes dos dois se reunirem em Jerusalém
AP
Ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak (à esq.), cumprimenta premiê palestino Salam Fayyad antes dos dois se reunirem em Jerusalém
O primeiro-ministro da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Salam Fayyad, e o titular da Defesa israelense, Ehud Barak, reuniram-se nesta segunda-feira em Jerusalém no primeiro encontro de mais alto nível entre as partes em um ano e meio. A reunião aconteceu na primeira hora da tarde em um hotel da cidade.

Os líderes abordaram questões relacionadas à segurança, economia e coordenação em vários níveis. "No decorrer da reunião, foi analisada a atividade das forças policiais da ANP para preparar as passagens fronteiriças na Faixa de Gaza a fim de ampliar o abastecimento desse território com produtos de uso civil, segundo a decisão do governo (israelense)", de acordo com um comunicado do Ministério da Defesa de Israel.

Os dirigentes também falaram da "coordenação de projetos conjuntos", assim como a continuação da cooperação em matéria de segurança e assuntos econômicos na Cisjordânia ocupada por Israel. "No final da reunião, acordaram que seus respectivos escritórios manterão o contato direto a fim de aumentar a coordenação e resposta a assuntos que necessitem de tratamento direto e rápido entre as partes", conclui o comunicado de Tel Aviv.

O Escritório de Fayyad afirmou em um breve comunicado que na reunião foram estudados assuntos relacionados às tentativas de pôr fim ao bloqueio da Faixa de Gaza, a situação de membros do Conselho Legislativo Palestino (Parlamento) de Jerusalém e outras "questões de interesse dos dois lados".

O primeiro-ministro da ANP abordou a recente decisão de Israel de expulsar quatro deputados do grupo Hamas oriundos de Jerusalém, em meio à preocupação da população palestina da cidade com seus direitos como residentes.

O encontro desta segunda-feira é o primeiro oficial de dirigentes palestinos e israelenses desde que Israel lançou uma ofensiva militar em Gaza entre dezembro de 2008 e janeiro de 2009, que deixou 1,4 mil palestinos mortos (em sua maioria civis).

Desde então, o diálogo para buscar uma solução para o conflito do Oriente Médio só pôde ser retomado de forma indireta com a mediação de Washington, um processo iniciado em maio e com um prazo previsto de quatro meses.

Ambas as partes insistiram que a reunião não tem relação com as atuais negociações de paz, que ainda não tiveram avanços significativos. A ANP não empreenderá o diálogo enquanto Israel não cessar totalmente a construção de colônias judias no território palestino ocupado. A reunião ocorreu um dia antes de o primeiro-ministro de Israel, Benyamin Netanyahu, viajar aos Estados Unidos, onde se reunirá com o presidente americano, Barack Obama.

O ministro da Defesa israelense, que liderou o Executivo israelense entre 1999 e 2001 e as negociações de Camp David e Taba com o então dirigente palestino Yasser Arafat, visitou recentemente Washington, onde vem sendo recebido como interlocutor de Israel não só em assuntos relacionados com a Defesa, mas também políticos.

O ministro israelense é o chefe do Partido Trabalhista, a terceira formação em importância da coalizão de governo em Israel, cujos líderes ameaçaram abandonar o Executivo se nos próximos meses não houver conversas sérias com os palestinos.

Fayyad, conhecido pelas suas posições moderadas, lidera um Executivo leal à ANP, que governa na Cisjordânia por causa da divisão política nos territórios palestinos e do controle da Faixa de Gaza pelo Hamas. Barak e Fayyad fizeram em fevereiro deste ano um painel em conjunto na conferência anual de segurança de Herzliya, ao norte de Tel Aviv, onde sua aproximação foi limitada a um aperto de mão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.