Israel diz que vai atirar contra palestinos que se aproximarem de fronteira

Jerusalém, 1 jul (EFE).- Israel informou ao movimento islamita Hamas que vai atirar contra os palestinos que se aproximarem da região fronteiriça da Faixa de Gaza, onde hoje ficou ferida uma mulher por fogo israelense, informaram fontes palestinas.

EFE |

O diário "Ha'aretz" indica hoje que o Estado judeu estuda a criação de uma "nova zona de segurança" ou "terra de ninguém" de várias centenas de metros ao oeste da cerca fronteiriça da Faixa de Gaza, e acrescenta que forças do Exército israelense efetuarão "disparos de advertência" contra qualquer pessoa que entrar nessa área.

O jornal indica que funcionários egípcios explicaram o novo procedimento seguido por Israel ao Hamas, que governa a Faixa de Gaza há mais de um ano.

Esta nova medida pode gerar mais tensões na enfraquecida trégua na Faixa de Gaza, alcançada entre Israel e o grupo islamita com a mediação do Egito e que entrou em vigor no dia 19 de junho.

Fontes de segurança consultadas pela Agência Efe disseram que o Exército israelense segue até o momento um procedimento de rotina no qual suas forças efetuam "tiros de advertência" (para o ar) quando alguém se aproxima da zona fronteiriça com a aparente intenção de cometer um ato que ameace a segurança do Estado judeu.

No início da semana, uma fonte das Nações Unidas citada pelo "Ha'aretz" informou a existência de oito casos de violação da trégua por Israel, a maioria tiros efetuados por tropas israelenses contra palestinos que se aproximaram da fronteira.

Desde a entrada em vigor do cessar-fogo, pelo menos dois agricultores palestinos foram baleados por forças israelenses quando estavam cultivando seus terrenos próximos ao limite com Israel.

Esta manhã, uma pastora palestina ficou ferida no pé quando conduzia seu rebanho ao sudeste da cidade de Khan Yunes, no sul da faixa mediterrânea, segundo fontes médicas palestinas.

Um porta-voz militar israelense disse que seu Exército não tinha conhecimento de nenhum incidente ocorrido nessa região.

Israel alega que está interessado em manter uma zona de segurança na fronteira de Gaza por temor de que milícias palestinas tentem aproveitar a trégua para colocar explosivos do lado palestino da fronteira, assinala o "Ha'aretz". EFE db/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG