Israel diz que não mudará política de assentamentos

Jerusalém, 28 mai (EFE).- O Governo de Israel advertiu hoje que não vai mudar sua política de assentamentos, pelo menos até que haja um acordo de paz, horas antes da reunião hoje em Washington do governante americano, Barack Obama, com o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas.

EFE |

"O futuro dos assentamentos existentes será determinado em negociações para um status final entre Israel e os palestinos. Até então, a vida nessas comunidades deverá continuar com normalidade", disse à Agência Efe Mark Regev, porta-voz do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu.

Regev evitou especificar se essa "normalidade" inclui a continuidade das atividades de construção que Israel realiza nos assentamentos, e que justifica como resultado de seu "crescimento natural".

"Israel cumprirá seu compromisso de não construir novos assentamentos e desmantelar os postos avançados não autorizados", disse o porta-voz.

As declarações de Regev acontecem depois de a secretária de Estado americana, Hilary Clinton, dizer ontem que Obama "quer uma suspensão total dos assentamentos" e não só de "alguns assentamentos".

Hillary rejeitou que a suspensão se limite "aos postos avançados" e descartou "exceções" que são justificadas com "o crescimento natural" das povoações de colonos.

"Acreditamos que o fim da expansão dos assentamentos é em interesse dos esforços (de paz) nos quais estamos envolvidos" disse Hillary, que advertiu: "vamos pressionar sobre esse ponto".

A suspensão do crescimento das colônias em território palestino é uma dos pedidos que Abbas fará hoje a Obama como passo imprescindível para avançar em direção a um acordo de paz. EFE aca/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG