Eretz (sul de Israel, fronteira com Gaza), 29 dez (EFE).- O porta-voz do Governo de Israel, Daniel Seaman, disse à Agência Efe que as autoridades do país acreditam que não será necessária uma incursão terrestre na Faixa de Gaza, mas que isso depende apenas do Hamas.

"Os próximos dias serão decisivos para que se comprove o fim dos ataques (do Hamas) a partir da Faixa de Gaza. Fomos embora de Gaza há três anos - em referência à evacuação israelense da região - e não queremos voltar", disse Seaman, que acrescentou: "Mas faremos isso se necessário".

O porta-voz do Governo israelense admitiu que uma incursão terrestre a Gaza - para a qual o Governo israelense já mobilizou 6,5 mil reservistas - "é uma operação complicada".

O funcionário fez estas declarações em Sderot, a cidade de Israel mais próxima da Faixa de Gaza, território que se encontra cercado por centenas de tanques israelenses.

Na fronteira, a circulação de civis era permitida apenas nas estradas asfaltadas e nos principais núcleos urbanos.

A 500 metros da passagem de Eretz, geralmente empregada para o tráfego de pessoas, cerca de 25 tanques se mantinham alinhados para eventuais ataques. EFE amg/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.