Israel diz esperar que discurso de Obama impulsione reconciliação

JERUSALÉM ¿ O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse esperar que o ¿importante¿ discurso pronunciado nesta quinta-feira, no Cairo, pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, leve a uma nova era de reconciliação entre Israel e o mundo árabe e muçulmano.

Redação com agências internacionais |


Em comunicado, o escritório do primeiro-ministro disse que o país compartilha a esperança de Obama de que os esforços americanos levem ao fim do conflito e ao reconhecimento de Israel como Estado judeu".

"Israel quer a paz, e fará tudo que está em seu poder para ampliar o círculo da paz, levando em consideração seu interesse nacional e principalmente sua segurança", diz o texto, que não fez menção ao fato de Obama ter pedido o fim dos assentamentos.

O comunicado foi divulgado depois de Netanyahu ter realizado uma reunião extraordinária com seu gabinete para analisar o discurso de Obama. Pouco antes, a liderança dos colonos judeus tinha acusado Obama de ter dado "prioridade às mentiras árabes sobre a verdade judaica".

A Autoridade Nacional Palestina (ANP) deu as boas-vindas às palavras do presidente dos Estados Unidos e "seu apoio aos palestinos", porque "tentou seriamente definir as relações entre o Ocidente e o mundo árabe".

O movimento islâmico Hamas, considerado terrorista pelos EUA, afirmou que o discurso de Obama "é diferente" ao de seus antecessores na Casa Branca, porque é "cheio de cortesia e de diplomacia suave".

Leia também:

Leia mais sobre Obama no Oriente Médio

    Leia tudo sobre: obama no oriente médio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG