Israel dispersa evento cultural em Jerusalém Oriental e detém 6 palestinos

Jerusalém, 17 dez (EFE).- A Polícia israelense deteve seis palestinos ao proibir hoje uma celebração em Jerusalém Oriental por ocasião do ano novo islâmico e fim do ano da cidade como capital da cultura árabe.

EFE |

O evento, no qual participavam escoteiros e crianças, aconteceu em frente ao Portão de Damasco, onde forças policiais israelenses ordenaram que todos os participantes se dispersassem.

A Agência Efe pôde constatar algumas resistências e breves enfrentamentos quando os policiais obrigaram a banda de música dos escoteiros a parar de tocar e os participantes a deixar o local.

Por enquanto, não foram divulgadas informações sobre vítimas nos enfrentamentos.

"Os israelenses não querem que comemoremos nada em Jerusalém", disse à Efe Ahmed Rweidi, assessor do presidente palestino, Mahmoud Abbas, para assuntos de Jerusalém.

Rweidi disse que hoje é começa o novo ano islâmico e é o final do ano de Jerusalém como capital cultural árabe, um evento que os palestinos tiveram que celebrar ao longo do ano fora da cidade, devido à expressa proibição israelense.

"Nossos jovens não estavam fazendo nada mais que celebrar este evento cultural e esta data religiosa", se lamentou o funcionário.

O porta-voz da Polícia israelense Miki Rosenfled confirmou as detenções "de seis palestinos que se negaram a dispersar-se e atacaram os agentes" durante "um desfile não autorizado, porque foi organizado pela Autoridade Nacional Palestina (ANP)".

"Qualquer ato convocado e organizado pela ANP é ilegal, essa é a política de Israel e continuará sendo no futuro", concluiu. EFE nm-elb-ap/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG