Israel deve libertar presidente do Parlamento palestino ainda hoje

Jerusalém, 17 jun (EFE).- O Governo de Israel deve libertar hoje o presidente do Conselho Legislativo Palestino (PLC, em inglês), o islamita Aziz al-Duwaik, após um juiz militar rejeitar um recurso do Exército e do serviço secreto israelenses para deixá-lo na prisão por mais seis meses.

EFE |

Fontes do Serviço Israelense de Prisões (SIP) confirmaram à Agência Efe que uma corte militar rejeitou hoje em Ramala o recurso contra a libertação de Duwaik, cuja pena terminou há cerca de duas semanas.

O presidente do poder Legislativo da Autoridade Nacional Palestina (ANP) foi detido por Israel em 2006, após a captura do soldado israelense Gilad Shalit por três grupos palestinos da Faixa de Gaza, entre eles o Hamas, do qual é membro.

Israel o condenou então a 36 meses de prisão, mas a Promotoria Militar apelou para que a condenação chegasse a 42.

"Trata-se de uma ordem judicial e, caso não haja outro processo legal envolvido, a cumpriremos o mais rápido possível", explicou a fonte do SIP consultada pela Efe.

A decisão do juiz militar israelense Aharon Meshinot de rejeitar o recurso do Exército foi confirmada pelo advogado de Duwaik, Fahdi Kawasmeh, e pelo segundo na hierarquia no PLC, Mahmoud Ramahi.

"A Corte rejeitou a apelação e, por isso, Aziz deve ser libertado a qualquer momento", declarou Ramahi.

Hazem Duweik, filho do político, declarou em Gaza que seu pai deverá pagar uma fiança de cinco mil shekels (quase 900 euros) antes de ser libertado.

Israel esperava utilizar Duweik e outros 35 deputados islamitas presos em 2006 como moeda de troca para libertar Shalit. EFE nm-sar-elb-amg/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG