Jerusalém, 24 jul (EFE).- As forças de segurança israelenses prenderam Nasr Mahmoud Abu Kishk, perto da cidade de Nablus, no norte da Cisjordânia, um membro da Brigada dos Mártires de Al-Aqsa procurado há anos, informou hoje o Exército israelense.

A detenção aconteceu durante a madrugada, no campo de refugiados de Askar, em uma operação conjunta do Exército com a Shin Bet, a agência de segurança israelense.

Abu Kishk, de 29 anos, foi transferido para Israel para ser interrogado, afirmou uma porta-voz militar.

Israel o responsabiliza por ataques com arma de fogo contra soldados israelenses e colonos na Cisjordânia, assim como por tráfico de armas para as milícias palestinas.

Ele também é acusado de ter participado do assassinato de um palestino suspeito de colaborar com as forças de segurança israelenses.

A edição digital do jornal "Yedioth Ahronoth" afirma que Abu Kishk comanda a Brigada Al-Awda, uma das facções da Brigada dos Mártires de Al-Aqsa, braço armado do Fatah.

Abu Kishk chegou a ser incluído em um acordo de anistia entre Israel e a Autoridade Nacional Palestina (ANP), por ter passado uma temporada em Yneid, uma prisão da ANP em Nablus.

No entanto, o miliciano detido foi retirado da lista após uma disputa entre os serviços de segurança de Israel e a ANP e por problemas no cumprimento de seu mandado de prisão.

Uma fonte próxima a Abu Kishk disse ao jornal que ficou surpresa com a prisão de um miliciano que "todo mundo sabia que estava engessado após uma queda e que era um homem livre, ao contrário de outros procurados por Israel". EFE ap/pd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.