Israel detém dois funcionários do consulado britânico por tráfico

Governo israelense investiga complô que envolve venda ilegal de armas e disparo de foguete contra estádio de futebol

Reuters |

O governo de Israel informou nesta segunda-feira que deteve e acusou dois funcionários locais do Consulado Geral da Grã-Bretanha em Jerusalém de tráfico de armas.

A ação faz parte de uma investigação sobre um suposto complô para disparar um foguete contra um estádio de futebol.

Um porta-voz britânico confirmou as prisões e disse que o país tentava confirmar com urgência as acusações. "As autoridades de Israel nos informaram que a investigação sobre nossos dois funcionários não tem relação com o trabalho que eles fazem no consulado", afirmou o porta-voz.

O serviço secreto de Israel disse que dois palestinos foram indiciados recentemente por uso de armas em um caso ligado a um suposto complô de dois outros palestinos para atacar com foguete o estádio Teddy, sede do time de futebol de Jerusalém Beitar. Segundo o serviço, os funcionários do consulado ajudaram os dois outros suspeitos, supostos membros do Hamas acusados em um tribunal no domingo, a obter armas.

Nenhum foguete foi encontrado pelas autoridades israelenses, que disseram que o plano de atacar o estádio estava na fase inicial.

    Leia tudo sobre: israelgrã-bretanhatráfico de armashamas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG