Israel detém árabe-israelense residente na Alemanha por espionar para Hisbolá

Jerusalém, 6 ago (EFE).- Israel deteve um jovem árabe-israelense que supostamente fazia espionagem para a milícia xiita libanesa Hisbolá, informaram hoje fontes oficiais.

EFE |

Em 16 de julho, forças da Agência de Segurança Israelense e da Unidade de Crimes Internacionais da Polícia Nacional detiveram o jovem Khaled Kashkoush, de 29 anos, e natural de Kalansua, uma cidade de maioria de população árabe no norte de Israel.

Kashkoush, que reside na Alemanha e cursa medicina na Universidade de Gottingen, foi detido no aeroporto de Ben Gurion, quando tentava entrar no país, informou o Escritório de Imprensa do Governo israelense em comunicado.

Durante sua estadia na Alemanha, o jovem entrou em contato com membros do Hisbolá, que lhe pediram para dar informações sobre Israel e nomes de cidadãos israelenses que estudavam no exterior.

Segundo as forças de segurança, Kashkoush também tentou encontrar trabalho em um hospital israelense, com o objetivo de recolher dados sobre membros das forças de segurança ali hospitalizados.

O suposto espião recebeu 13 mil euros por suas informações, segundo a acusação.

"Desde que o Exército israelense saiu do sul do Líbano, em maio de 2000, o Hisbolá aumentou suas atividades com cidadãos israelenses, tentando estabelecer uma rede de inteligência e infra-estrutura operacional para recolher informações sobre Israel e executar ataques letais contra seu território", indica o comunicado.

Segundo a nota, o Hisbolá está tentando recrutar árabes-israelenses que residem no exterior, já que graças a sua cidadania, eles podem se movimentar livremente por Israel, e recolher informações estratégicas e táticas. EFE aca/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG