Israel desocupa assentamento judaico na Cisjordânia

Jerusalém, 10 ago (EFE).- As forças de segurança israelenses evacuaram hoje um assentamento judaico no centro da Cisjordânia ocupada, informaram à Agência Efe fontes oficiais israelenses.

EFE |

"Foi realizada a evacuação de Maoz Esther, que já foi evacuada em várias ocasiões e onde houve o desmantelamento de nove estruturas ilegais", disse à Agência Efe Guy Inbar, porta-voz do organismo israelense de coordenação dos territórios.

"Houve alguns protestos e uma pequena manifestação", disse o porta-voz, que acrescentou que "os colonos atacaram com pedras as forças militares e tentaram impedir o acesso a seus veículos", apesar do que a evacuação aconteceu com sucesso.

A minicolônia judaica de Maoz Esther, situada ao nordeste de Ramala, foi desmantelada várias vezes nos últimos anos, a última delas há três meses.

Os residentes prometeram voltar a construí-la de novo o mais rápido possível, informou o jornal "Ha'aretz" em sua edição on-line.

As forças israelenses também tentaram evacuar o assentamento de Bnei Adam, estabelecido em 2005 ao sudeste de Ramala, mas, por fim, definiram com os colonos adiar a expulsão para amanhã.

"A Administração Civil e os representantes dos colonos decidiram que a evacuação acontecerá amanhã, com o apoio dos residentes de Bnei Adam", disse Inbar.

Os dois assentamentos estão entre os 50 que o próprio Executivo israelense considera ilegais (os construídos desde março de 2001), mas, segundo o direito internacional, todos são.

Israel é obrigado a desmantelar estes assentamentos na Cisjordânia (que abrigam uma mínima parte do total de colonos), de acordo com o Mapa do Caminho, o plano de paz apresentado em 2003 pelo Quarteto de Madri (ONU, Estados Unidos, União Europeia e Rússia). EFE aca/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG